quinta-feira, 18 de dezembro, 2014

Suécia passa de consumidora fiel de uísque a produtora

O "scotch" mudou radicalmente de cara na Suécia. Saíram os desenhos de animais, que costumam aparecer em rótulos de uísque escocês, e ficou apenas o nome da marca em letras sem serifa, com o logotipo azul e amarelo da engarrafadora: Svenska Eldvatten, uma empresa independente especializada em engarrafar uísque e outras bebidas destiladas importadas para o mercado sueco. Embora o conteúdo seja escocês, o formato da garrafa é inequivocamente escandinavo. A empresa faz parte da crescente indústria de uísque do país, que silenciosamente começou a produzir seus próprios "single malts".
Os suecos estão entre os maiores consumidores de uísque do mundo. Segundo a Associação do Uísque Escocês, as exportações anuais de uísque escocês para a Suécia subiram de 10 milhões de libras esterlinas (US$ 15,71 milhões), em 2003, para 36,4 milhões de libras, em 2013.
"Os suecos adoram o uísque turfado, então os uísques 'single malts', como o Laphroaig, o Ardbeg e o Lagavulin são muito populares aqui", diz Peter Sjögren, um dos donos da Svenska Eldvatten. "Nós, suecos, também gostamos de explorar novos territórios, como o uísque japonês."
Em novembro, o manual anual "Jim Murray Whisky Bible" causou comoção quando indicou o Single Malt Sherry Cask 2013, da destilaria japonesa Yamazaki, com sua bebida número um.
Nos últimos anos, o mercado mundial de produção de uísque mudou drasticamente e a posição da Escócia como maior produtor da bebida não está mais segura. Em várias partes do mundo, da Tanzânia a Taiwan, destilarias vêm sendo criadas para atender aos gostos locais.
A Suécia agora vem se dedicando a produzir uísque - dez novas destilarias começaram a fazer uísque no país desde 2013.
A Box Distillery foi inaugurada em 2010 e vem produzindo bebidas populares, embora em pequena escala.
Em junho deste ano, um lote de 700 garrafas foi vendido em um dia. A destilaria Hven produz vários uísques "single malt" e ganhou diversos prêmios na International Wine & Spirit Competition (IWSC) desde 2013.
A maior destilaria na Suécia é a Mackmyra, com capacidade de produção de 1,2 milhão de litros por ano. A empresa foi criada quando oito amigos do Instituto Real de Tecnologia reencontraram-se em 1998. Cada um trouxe uma garrafa de uísque de malte e não demorou muito para algum deles se perguntar por que os suecos não produziam uísque. Tendo detectado a oportunidade, no ano seguinte, o grupo começou a criar o primeiro uísque sueco "single malt".
"A Suécia produz uma das cevadas de melhor sabor - algumas destilarias escocesas até importam de nós. Então, quisemos criar um uísque que mostrasse a oferta natural da Suécia e refletisse os sabores do país", diz Lisa Collins, gerente de exportação da Mackmyra.
Depois de experimentar com 170 receitas diferentes, a empresa ateve-se a duas delas em 2001. Converteram em destilaria uma usina abandonada na cidade Gävle e começaram a produzir seu "single malt" em barris de 30 litros de carvalho sueco.
O resultado foi o serviço personalizado de barris Mackmyra, em que os clientes podem criar seu próprio "single malt" e são convidados para degustações ao longo do processo de envelhecimento de três anos.
"Nossos clientes vêm em primeiro lugar", diz Collins. "Ouvimos com muito cuidado o que eles querem".
Em 2008, foi lançada a primeira garrafa de produção regular, a "The First Edition". Desde então, a empresa cresceu até transformar-se em uma marca internacional de uísque.
Há dois anos foi escolhida a produtora europeia de bebidas destiladas do ano na IWSC, com a The First Edition ganhando o prêmio de ouro. A empresa também é um sucesso financeiro, com vendas de 7 milhões de libras (ou US$ 11,0 milhões) no ano passado.
Mackmyra foi bem recebida nos países próximos e em 2013 tentou expandir-se para a América do Norte. No balanço anual do ano passado, o executivo-chefe Magnus Dandanell disse que a expansão foi rápida demais e que a empresa havia disseminado demais os recursos e "perdido o foco nos mercados vizinhos".
A empresa agora voltou à sua estratégia original de focar-se na base de clientes locais, embora isso não tenha acabado com suas ambições de exportar.
"A Suécia é nosso principal mercado", diz Collins. "Mas também tivemos crescimento de 100% tanto na Bélgica quanto no Reino Unido, nos últimos 12 meses. A partir de 2015, vamos buscar direcionar o foco a nossos mercados fora do continente."
Há certo debate sobre qual será o futuro da indústria sueca de uísque. "Tenho a impressão de que os suecos estão principalmente interessados no mercado doméstico e modelam o estilo de seus uísques para agradar o paladar sueco", diz Gavin Smith, escritor especializado em uísque escocês que visitou recentemente as 13 destilarias suecas.
O diretor-gerente da Eldvatten, Tommy Andersen, tem uma perspectiva mais internacional. "O uísque sueco tem grande potencial para tornar-se uma das [principais] exportações da Suécia. Mesmo com os uísques das principais destilarias, Box, Smögen e Hven, tendo apenas de quatro a sete anos de envelhecimento, eles estão bastante alinhados com os melhores 'single malts' japoneses ou escoceses no que se refere à qualidade."
Valor Economico
Produtos relacionados
Ver esta noticia em: english
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP