sexta-feira, 01 de julho, 2016

Oferta de congelado dobra na Vivenda do Camarão

Neste mês de junho, a já tradicional rede de restaurantes Vivenda do Camarão investiu R$ 1,5 milhão para dobrar o seu mix de produtos congelados e também para levar à casa dos clientes pratos mais sofisticados. O investimento marca o aniversário de 32 anos da empresa.
O mercado de congelados é um fato relativamente novo na empresa. Há dois anos a Vivenda do Camarão decidiu testar o nicho de congelados. Colocou uma linha com quatro sabores, todos à base de camarão. O preferido da clientela é o Bobó de Camarão.
O empresário Rodrigo Perri explica a nova iniciativa: "São cinco produtos congelados e prontos para serem servidos, sem necessidade de o consumidor ter que acrescentar outros ingredientes". Os pratos, todos à base do crustáceo dá nome à empresa, são acompanhados de arroz e batata palha, creme de palmito, entre outras receitas. São embalagens de 500 gramas e o preço sugerido ao varejo é de R$ 17,90. "A nova linha estará nas gôndolas no próximo mês", diz.
A Vivenda do Camarão, afirma Perri, entrou no ano de 2016 com o firme propósito de trabalhar de forma mais eficiente a área de autosserviço. "O objetivo é colocar nossa linha em todos os pontos de vendas. Já estamos no Pão de Açúcar, Carrefour, Mambo, mas queremos atingir todas as redes do interior do país, mesmo as menores", afirma. Com o lançamento, a previsão é de que o faturamento no setor de congelados tenha um aumento por volta de 20% e mantenha esse patamar no próximo ano. "Hoje a linha de franquias representa quase 80% do nosso faturamento, o food service responde por 10% e o restante vem do setor de autosserviço", afirma.
Mesmo sendo uma indústria alimentícia, setor que sofre menos com a crise, a Vivenda do Camarão sentiu a turbulência econômica. "A companhia mantinha crescimento médio de 15% no faturamento nos últimos anos. Em 2015, no entanto, a alta ficou na casa dos 5%, devendo repetir o mesmo índice em 2016", afirma.
A empresa já está abrindo outros caminhos, além das franquias e dos pratos prontos. Desde o inicio de janeiro, a companhia passou a importar uma extensa linha de produtos in natura que vai de camarão a bacalhau fresco, além de anéis de lula, peixes como polaca, pangaço e salmão chileno. "São produtos importados da Europa, Alaska, China e Chile. Iniciamos com 20 toneladas mensais e hoje já compramos, a cada mês, 200 toneladas. Esperamos chegar em dezembro com o dobro desse volume", prevê.
A decisão da companhia em explorar esse segmento veio justamente da grande demanda por parte da área de food service e da carência dos produtos de qualidade no mercado brasileiro. "Percebemos que existia uma demanda grande por esses tipos de produtos diferenciados e de qualidade no mercado interno. Para 2017, o crescimento nesse segmento deverá ficar entre 15% e 20% com ampliação da área de atendimento. O carro chefe dos importados é o salmão congelado e fresco, que representa 50% do faturamento", conta.
A Vivenda do Camarão vem se estruturando nos últimos anos para aumentar sua participação no mercado. Em janeiro último, inaugurou o Centro de Distribuição (CD), que absorveu recursos da ordem de R$ 14 milhões na construção. "A capacidade instalada é de aproximadamente 1,2 mil toneladas", diz. Há cerca de dois anos a companhia também aportou recursos na expansão da fábrica, instalada em Cotia, na Grande São Paulo.
"Foram investidos R$ 7 milhões na ampliação da produção, que tem capacidade instalada para 2,1 milhões de pratos por mês. Atualmente fabricamos ao redor de 700 mil unidades mensais", diz. Segundo o executivo, nos próximos cinco anos não haverá necessidade de expansão da empresa. "Hoje operamos em apenas um turno", afirma Perri.
O negócio começou há 32 anos quando Rodrigo Perri se viu diante de um contêiner de camarão para ser exportado para a Europa e os Estados Unidos e observou que os melhores crustáceos iam para os clientes lá fora. Para os locais, ficavam os de segunda linha. E por uma razão muito simples: como o camarão tem um preço elevado, havia pouca procura no mercado doméstico. Se oferecesse um preço justo, aumentaria a clientela e, em consequência, reduziria o custo.
Foi assim que, em 12 de junho de 1984, a Vivenda do Camarão abriu seu primeiro restaurante no bairro de Moema, em São Paulo, onde uma faixa anunciava "Camarão a preço justo". A casa teve fila de espera no primeiro dia. A fórmula deu certo e Perri decidiu entrar no setor de franquias. Hoje são 165 restaurantes nesse formato e a meta para o próximo ano é abrir mais cinco unidades.
Valor Econômico
Produtos relacionados
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP